sábado, 23 de abril de 2011

JULINHA -- Um Projecto Completo

Um Projecto tão pequeno e tão completo.
Potencial aberto à vida.
No início é como um sonho,
em que são possíveis todas as hipóteses:
Tudo está em aberto,
todos os caminhos
em todas as direcções,
são possíveis.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Tempestade em Faro provoca a queda de uma Couve idosa





Foi em Faro que tudo aconteceu,

(mais precisamente na Urbanização das Gambelas,
muito perto da Universidade do Algarve).

Tudo aconteceu devido à forte tempestade
que se abateu nesta localidade,
na noite de 15 para 16 de Fevereiro,
onde se registaram precipitações superiores
a 13 litros/m2, com ventos que
rondaram os 47 km/hora, tendo, algumas rajadas,
atingido os 68 km/hora,
segundo dados do Windguru, referentes a Faro.
O caso é que uma couve
de idade avançada
da variedade Brassica oleracea, grupo Acephala,
também conhecida por couve-galega,
couve de folhas, ou caldo verde,
tombou por força da tempestade,
ficando atravessada no caminho
a dificultar a passagem.
(Algumas couves já são tão velhas
que passam o tempo encostadas ao muro
a espreitar o que se passa fora do quintal).

As autoridades,
(neste caso os proprietários),
dirigiram-se de imediato ao local
(só quando deixou de chover),
tendo-se deparado com a referida tragédia.

Tratava-se de uma das cinco mais antigas
couves do quintal
e que já deram muita panela de cardo verde.

As raízes foram arrancadas
pela força da intempérie
e a planta jazia prostrada
no caminho.

Foi necessário algum
equipamento de peso
para se proceder ao corte,
à remoção dos destroços e à
desobstrução da via.

Depois de cortado, o tronco recuperou de imediato a sua verticalidade,
esperando-se que volte
a dar rebentos e a recuperar o seu aspecto viçoso.

Quanto à parte das folhas, vai ficar a aguardar na cozinha, nas suas novas funções decorativas
numa jarra, enquanto aguarda a
confecção do próximo caldo verde
ou de um prato de bacalhau com todos.



Daqui é tudo,
a emissão pode regressar ao estúdio.


(Já basta de tanto nabo
a olhar para uma couve).

domingo, 20 de junho de 2010

Filhos em Cristo, integramos a SS.Trindade.

Cristo ensina-nos:
Quando rezardes dizei assim :
Pai Nosso...!
Cristo integra-nos na parternidade do Pai. Irmãos de Cristo!
Não somos apenas criados por Deus: Em Cristo, somos Filhos de Deus!
E SOMOS FILHOS por Cristo, com Cristo e em Cristo.

E, assim, como filhos de Deus, de certo modo, também fazemos parte da Santíssima Trindade:
Pai, Filho e Espírio Santo!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ainda sobre a visita do Papa Bento XVI


Sobre o Título: "BENTO XVI E O NOSSO DILEMA", António Pinto Leite escreve no "Expresso" de 22 de Maio, um artigo onde tece alguns comentários e transcreve algumas passagens dos discursos do Papa na sua visita a Portugal.
Numa das transcrições (dum discurso em Fátima), refere:

"Deus tem o poder de chegar até nós nomeadamente através dos sentidos interiores, de modo que a alma recebe o toque suave de algo real que está para além do sensível, tornando-a capaz de alcançar o não sensível, o não visível aos sentidos".

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Passeio à Iha da Culatra

A Ilha da Culatra faz parte daquela 'segunda linha de costa' que se formou a Sul do Algarve, em frente das cidades de Faro, Olhão e Tavira.
Esta segunda linha de costa é uma duna de areia, recortada por braços de mar, que dá o contorno à Ria Formosa, a Sul, e que se prolonga para Nascente até quase à Manta Rota.

Os braços de mar recortam a duna em vários pontos formando as Ilhas:
-- Em frente de Faro fica a Ilha da Barreta, praticamente deserta e para Poente, (ao lado do Aeroporto), fica a chamada Ilha de Faro, que não é uma ilha, mas uma península, a Península do Ancão e que é bastante habitada;
-- A Nascente da Ilha da Barreta, em frente de Olhão, fica a Ilha da Culatra com dois aglumerados de casas -- um a Poente, também conhecido por Ilha do Farol e outro a meio da duna conhecido por Culatra e, nesta zona, a Ilha tem cerca de 1 km de largura;
-- Depois vem a Ilha de Armona, em frente da Fuseta, com algumas casas, poucas;
-- Continuando para Leste vem a Ilha de Tavira com o seu Parque de Campismo;
-- Finalmente, em frente de Cabanas de Tavira, surge a Ilha de Cabanas, seguindo-se depois uma península até Manta Rota.


No passeio à Ilha da Culatra apanhámos o barco em Olhão.
É um Passeio que recomendo, ora vejam!

video

segunda-feira, 26 de abril de 2010

As Plantas do meu Quintal


O meu quintal tem cerca de 30 metros quadrados.

Imaginem assim uns 6 por 5 metros úteis.

Há dias comecei a contar as plantas que lá cultivo presentemente.

Ora vão contando:


Árvores são poucas:

Uma amendoeira que se recusa a dar amêndoas, tal como uma figueira que figos não dá; Loureiros são vários, tal como as parreiras que já carregam de uvas. Uma planta de pipinela e outra de lúcia lima para fazer chá. Para chá tem ainda erva cidreira e chá príncipe, três variedades de hortelã, coentros, poejo, tomilho e mangericão. Três variedades de alface e outras tantas de feijão verde. Tomateiras, pimenteiros e beringelas. Cebolas, piri-piri e beterraba vermelha. Salsa, couve portuguesa, bróculos e caldo verde. Dose floreiras com morangueiros e duas com rúcula para além da que está nos canteiros. Falta ainda falar do alho francês e uma planta de anis e outra de espargos. Os girassóis ainda estão pequenos, tal como o cebolinho e os mangericos, mas já são trinta e oito as variedades presentes...!!!

Gostaram?

E tudo isto em pouco mais de 30 m2...!!!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Pois é: 61 já Foram.


Completo hoje 61 anos de idade.
Isso parece ser um bom motivo para regressar à actividade no blog.
Desde a minha passagem à aposentação antecipada que não deixava aqui qualquer apontamento. Ultimamente tenho-me dedicado sobretudo ao quintal.
Aqui fica uma imagem dele.
Espero que...
até breve...!!!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Avaliação de desempenho: 2008

A propósito da avaliação de desempenho a decorrer, referente ao ano de 2008, remeti ao Chefe Máximo (CM) os e.mails que a seguir se trancrevem:

Ex.mo Senhor CM

Na sequência do e.mail anterior informo V. Ex.cia que na Sexta-feira, dia 8 de Maio, fui chamado ao gabinete do Sr. Chefe Intermédio (CI) para ser avaliado no desempenho em 2008.

Ao longo de 2008 apresentei ao Sr. CI 10 trabalhos relativos aos dois objectivos -- apresentar Propostas e Manuais -- que me tinham sido determinados, (aliás objectivos comuns a dez funcionários destes serviços, salvo erro), tendo-se constatado, logo no início da entrevista, que nem todos os trabalhos entregues estavam presentes. Todos os trabalhos apresentados diziam respeito aos Serviços e enquadravam-se nos objectivos propostos.
Mesmo assim procedeu-se a atribuição das cotações e foi-me entregue para assinar, tendo sido atribuído àqueles objectivos a cotação de 'atingiu o objectivo' o que considero injusto uma vez que, pelos parâmetros definidos, os objectivos tinham sido todos superados.

A ausência de alguns trabalhos apresentados vem reforçar a justeza da denúncia, mencionada na Auto-Avaliação, da obrigatoriedade destes trabalhos terem que ser entregues apenas pessoalmente e em mão, por determinação do Sr. CI, conforme referido no e.mail abaixo, o que contraria o previsto no Código do Procedimento Administrativo, (cf. Art.º 82º).
Aliás, por eu ter mencionado esta determinação, o Sr. CI escreveu na apreciação, num dos trabalhos entregues, "Gostaria ainda que o proponente me dê cópia da determinação da entrega dos objectivos em mão."
De facto é preciso descaramento, é preciso não ter vergonha, sobretudo considerando os acontecimentos antecedentes abaixo mencionados. Não tivesse a ordem sido repetida por escrito num e-mail do Sr. CI (ver abaixo) e eu teria que me calar ou corria o risco de me ser colocado outro processo em tribunal.

É igualmente de referir que o trabalho intitulado '5ª Alteração Orçamental', no qual se apresentavam propostas relativas ao sector Administrativo e Financeiro, entregue pessoalmente ao Sr. CI em Maio, também não se encontrava presente, mas apenas a troca de e.mails posteriores. Este trabalho, que apenas podia ser entregue pessoalmente sem poder ser através de qualquer funcionário, foi-me mostrado em mão, no meu gabinete, pela funcionária que aceitou desempenhar as funções no conselho administrativo inerentes ao cargo para que fui nomeado, manifestando que se sentia atingida pelo conteúdo do referido documento, tanto mais que estava a decorrer a atribuição duma classificação de Excelente no seu desempenho. Este trabalho que já continha uma apreciação redigida pelo Sr. CI, acabou por desaparecer no gabinete da referida funcionária, conforme é admitido pela própria em e.mail, nunca me tendo sido dado conhecimento da referida apreciação, e sendo-me proposto que entregasse de novo o documento.

Noutro trabalho entregue sobre o título 'Trabalhos de Manutenção e Conservação do Edifício da Sede dos Serviços' o Sr. CI acrescentou no início da sua apreciação: 'Espero não ser um objectivo.' De facto não se trata duma dúvida existencial, mas da demonstração e da evidência do pré-conceito e da má-fé.

Durante esta entrevista o Sr. CI berrou diversas vezes comigo, de modo que se ouvia no andar de baixo, tendo afirmado que proibira as visitas do Padre Augusto no meu gabinete por se tratar de reuniões clandestinas, o que será de considerar, no mínimo, uma atitude ridícula e absurda, uma vez que se trata de uma pessoa amiga que o Sr. CI conhece há mais de 10 anos.

Ainda durante esta entrevista foi-me mostrada, diversas vezes, a pasta onde o Sr. CI disse ter guardado todos os trabalhos apresentados pelos funcionários para cumprimento dos objectivos para avaliação de desempenho, com separadores em cartolina. Pelo que me foi dado observar alguns dos separadores estavam completamente vazios e a sensação com que fiquei foi a de que eu sozinho teria entregue tanto ou mais trabalhos do que todos os outros funcionários juntos, pelo que, sendo estes objectivos comparáveis, não considero justo que a não entrega possa ser tanto ou mais avaliada.

Espero que o Sr. CM retire daqui as ilações que considere convenientes e proceda em conformidade.

Uma vez que já estou de saída não acredito que a minha avaliação possa vir a ser melhorada. Aliás, outros requerimentos anteriores com assuntos mais graves, não obtiveram resposta, embora prometida.

Segundo informação do Ministério enquanto eu estivesse nomeado para o cargo teria que integrar o conselho administrativo por inerência, não foi nomeado outro para o cargo conforme o Ministério sugeria, e não fui eu que deleguei essas competências na funcionária que as aceitou exercer, pelo que considero a situação ilegal, mas se ela continuar a substituir-me, mesmo depois de passar à aposentação, considero a situação duplamente aberrante.

Desejo que o próximo CM tenha mais coragem.

Pela Verdade e pela Justiça.
E pela Dignidade das Pessoas,
da Instituição e do exercício das funções públicas.

Luís Almeida



From: Luís Almeida
Date: 2009/02/13 11:38
Subject: Atitudes e Ambiente nos Serviços
To: cm@e.mail.pt

Ex.mo Senhor CM

A fim de que V. Ex.cia possa avaliar da outra face do ambiente que se vive nestes Serviços, seguidamente transcrevo alguns aspectos mencionados nos "Factores Mais Influentes No Desempenho", nomeadamente quanto ao "ambiente de trabalho existente" da minha "Ficha de Auto-Avaliação" relativa a 2008:

"Na reunião em que foram distribuídas individualmente esta folhas para a Avaliação do Desempenho, o Sr. CI aberta e ostensivamente e na presença de todos proibiu-me de receber no meu gabinete a visita do Sr. Padre Augusto, meu amigo pessoal. Uma vez que não se tratava de uma medida de segurança genérica, nem de uma norma geral sobre visitas, não havendo qualquer outra regulamentação ou limitação sobre visitas nos gabinetes destes Serviços, considero que se tratou duma atitude provocatória, e ilegal e discriminatória, intimidatória dos restantes funcionários destes Serviços, provocando intencionalmente o meu isolamento e desgaste emocional e psíquico, atitude que considero indigna dum dirigente, uma vez que, até numa prisão os condenados têm direito a receber visitas, e a liberdade é um direito consignado na Constituição R.P."

Noutro item refiro:
"O primeiro dos dez trabalhos que apresentei para a minha Avaliação de Desempenho foi entregue à funcionária que na altura dava entrada na correspondência para que o levasse a despacho juntamente com a mesma. O referido trabalho foi-me devolvido, tendo eu sido chamado ao gabinete do Sr. CI onde me foi determinado verbalmente que aqueles trabalhos só podiam ser entregues a ele pessoalmente, sem ser através de qualquer outro funcionário.
Uma vez que não haveria nem registo, nem qualquer testemunha que pudesse confirmar a entrega destes trabalhos, considero que se trata duma determinação abusiva, prepotente e ilegal, uma vez que o 'administrado' tem o direito de poder fazer prova de documento entregue perante 'administrador', tendo confirmado a entrega de alguns documentos por via electrónica (e.mail).
Igualmente considero provocatória, intimidatória e indigna dum dirigente a atitude que, num despacho exarado num dos trabalhos por mim apresentados para esta Avaliação de Desempenho no qual apresento propostas sobre 'Poupar energia e aumentar o conforto', o Sr. CI tenha escrito: "Gostaria ainda que o proponente me dê cópia da determinação da entrega dos objectivos em mão."
De facto, uma vez que a determinação foi verbal, o Sr. CI sabia bem que não havia 'original' e, por isso, não podia haver 'cópia', atitude que considero indigna dum dirigente.
Por outro lado é uma atitude intimidatória para que eu não refira essa ordem, tanto mais que, por eu ter referido uma outra conversa, e uma vez que uma conversa não pode ser provada, foi-me posto um processo em tribunal. À porta da Sala de Audiências, para que não houvesse julgamento, tive que assinar a declaração que me foi exigida, tive que pagar a importância que me foi exigida, para além de ter que suportar todas as outras despesas que o processo acarretou, eis por que considero a atitude provocatória, intimidatória e indigna dum dirigente da administração pública.
(Ver e.mail anexo onde é citada a referida ordem verbal)."

Quanto ao item "Comentários e Propostas... reafectação profissional" apenas referi: "Requeri a aposentação antecipada."

À superior consideração de V. Ex.cia.

Com os melhores cumprimentos.
Luís Almeida

Nota: Os e.mails referidos em anexo não estão reproduzidos.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Aposentação

Hoje deve ficar anotado
que recebi a comunicação
do despacho da minha aposentação.

Já está.

terça-feira, 5 de maio de 2009

O Deus em que creio: Uma Proposta de Credo Cristão

Seria interessante que cada pessoa conseguisse exprimir, por escrito, o Deus em que acredita
e desafio-o a fazê-lo
antes de se deixar influenciar pela minha forma de expressão:

Creio em um só Deus, Pai Criador do universo e de todas as coisas, que é Bom, Misericordioso e Santo e que ama todas as pessoas.
Creio em Jesus o Cristo, Filho de Deus, que é Deus com o Pai, Palavra de Deus que se fez homem e que, por nosso amor, sofreu, morreu e ressuscitou para redimir e salvar a nossa humanidade.
Creio no Espírito Santo, Amor do Pai e do Filho, que nos dá Vida, orienta, fortalece, dignifica e santifica.
Creio na Santíssima Trindade mistério de Amor.
Creio no testemunho dos Apóstolos e em todas as pessoas que, de coração sincero, procuram fazer a vontade de Deus.
Creio no homem, criado à semelhança de Deus e, por isso, capaz de amar, de se reconhecer Seu filho, de O louvar por todas as criaturas e de se deixar habitar por Ele para sempre.

Por muito que consigamos dizer dEle
parece que muito longe ficamos
do que devíamos dizer.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Deus é Amor !!!

Talvez seja a melhor definição de Deus...

Cristo usava a expressão 'Pai Misericordioso'
(Misericordioso: Aquele que acolhe
as nossas misérias no Seu coração).

Pois, o Credo dos cristãos
nem uma única vez refere a palavra AMOR...!!!

Tenho esperança que um dia os cristãos
sejam capazes de exprimir melhor
(nas palavras)
o Deus em que acreditam,
já que na Vida
é o único modo de o mostrar !!!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Eu sei ! Já há 4 meses...!!!

É verdade!
Já há mais de 4 meses que não venho aqui deixar
o que me vai na alma... e no resto!
É certo que ter perdido a capacidade de formatar o texto
e de anexar fotos... fez perder muito do entusiasmo que punha no blogue...
É assim...
Mas há uns dias a esta parte tenho sentido vontade de aqui voltar
até por que algumas pessoas já me disseram que o encontram sempre na mesma
e porque tenho desejado partilhar convosco a minha Páscoa de 2009...:
Uma das coisas que mais me marcou...
foi ter chegado à Semana Santa a sentir
que esta Quaresma tinha passado demasiado depressa...
demasiado ao lado...! E isso criou-me um certo mal estar...
A Páscoa é a principal festa dos Cristãos
e a Páscoa é 'Passagem'...
E na 'passagem' por esta vida quem não fizer 'passagem' para a Outra...
Na 5ª-Feira e na Sexta-Feira Santa fomos às cerimónias no Carmelo:
Na 5ª-Feira havia tanta coisa para reflectir, tanta carga simbólica, era o lava pés, a instituição da Eucaristia, a instituição do Sacerdócio, ...
pois o Sacerdote centrou a reflexão na mesa...
Esse objecto criado pelo homem,
à volta do qual se reune a família,
se partilha a refeição, se criam laços...
(ainda estou a digerir estes aspectos)...
E Cristo eleva-a à dignidade de altar!
Na(o) qual Ele se faz presente... cada dia!!!

Bem,
mas na Sexta-Feira foi melhor:
A Adoração da Cruz não é propriamente uma cerimónia agradável...
é triste, pesada, lenta, sem brilho, nem côr...
Mas a reflexão surpreendeu-me...!
E trouxe uma coisa tão simples e tão nova
que acabou por dar novo sentido,
um Sentido Novo...
e sentido de modo diferente, a esta Páscoa:
... uma frase do Evangelho:
'... tendo amado os Seus amou-os até ao fim...'
ganhava nova força !
Uma profundidade diferente...!
A reflexão do Sacerdote ao falar da Cruz
afirma que Cristo morreu por Amor...
por Amor ao Pai
por Amor aos homens!
... e nós somos salvos no Amor de Cristo!
Somos salvos no Amor de Deus Pai!
(Deus é Amor!)
Parece que isto não tem nada de novo...!
Pois... o pior vem a seguir:
É que...
mais do que a Cruz...
mais do que os sofrimentos de Cristo...
mais do que o abandono dos amigos
mais do que as injustiças... a dor...
a vergonha da nudez... a solidão...
é o Seu Amor a Deus
a Aceitação da Vontade do Pai
e o Amor aos homens que nos salva!!!
E só nesse Amor todos os sofrimentos têm sentido!
Não fomos salvos pelos sofrimentos
(e aqui está o cerne da questão!)
fomos salvos pelo Amor de Cristo!!!
O Amor foi mais forte que o sofrimento, a dor...
O Amor foi mais forte que o medo ... a morte...!
O Sacerdote concluia:
Não seguimos uma religião que defenda o sofrimento pelo sofrimento!
Não pertencemos a uma religião que defenda a dor pela dor!
Amar a Deus e aos Irmãos pode trazer sacrifícios,
pode trazer sofrimentos, pode conter dor...
Mas eles só têm sentido se o seu fim último for o Amor a Deus e aos Irmãos...!
Aqui está a grande revelação desta Páscoa 2009!

São Paulo já tinha escrito sobre isto, sito de cor:
...mesmo que eu entregue o meu corpo para ser entregue à morte,
se não tiver caridade de nada me servirá...!!!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

As Saudades que vou ter

Da janela do meu gabinete vê-se a linha do comboio para Olhão.
Quelfes ao fundo
E o Serro de São Miguel recortado à esquerda
Esta paisagem banhada pelo sol
As estufas e o casario...
Mas sobretudo o verde e a luz...
O mar, à direita, é pouco mais que uma linha no horizonte
Uma linha de azul escuro, a fazer o contraste.
Na frente as árvores da Quinta
e ao lado o Colégio do Alto.
E este azul do céu...
E a passarada: os pombos, as rolas,...
Foi aqui que vi, pela primeira vez,
os papagaios de gravata vermelha...
As cegonhas que planam sobre as correntes de ar quente
para ganhar altura... os bandos aquando da migração...
A chegada das andorinhas... eu vou ter saudades!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Hoje Assinei o Pedido de Aposentação

O dia de hoje ficará marcado pela assinatura do meu requerimento de aposentação.
Com 36 anos de descontos (33 + 3 de serviço militar, de trabalho mais de 45) e com quase 60 de idade... digo adeus a uma situação onde, através do meu trabalho, procurei sentir-me realizado na sociedade e colaborar no seu crescimento e aperfeiçoamento, e realização das pessoas que me rodeiam.
Saiu com saudades das pessoas, mas com a pressão, a angústia e o desgaste da injustiça, da opressão e da prepotência levadas perto do limite da resistência humana.
Há uma tristeza em sentir que a minha vida útil está a chegar ao fim.
Há um mundo desconhecido, novo, que se anuncia.
Há uma esperança , ainda, de realização, de utilidade num resto de anos que por certo ainda me esperam.
Há um desejo de uma nova forma de viver, de fazer, de realizar sei lá o quê...!
E há um querer descobrir novas formas de amar, de crescer, de viver,... de ser feliz!!!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

DEUS e a minha Liberdade...!?

No exercício da minha Liberdade
EU sou o sujeito que opta entre as possíveis alternativas...
Optar é um exercício da minha Vontade
ao ponderar e escolher entre as diversas pulsões e circuntâncias...
A Consciência analisa as consequências da opção,
revaloriza as pulsões, corrige e aperfeiçoa a Vontade...!!!

A Consciência é a porta através da qual Deus se dá a conhecer
na Sua essência: AMOR!

Só por elas, a Liberdade e a Vontade
não se importam de se transformarem
em suportes da Vaidade e do Egoísmo...!

Quando rezamos 'Pai nosso...' dirigimo-nos ao Criador!
Santificado seja...
Venha o Vosso Reino...
Seja feita a Vossa Vontade...

É a expressão do nosso desejo de optarmos pelo Amor
que há-de dar sentido à nossa Liberdade
de nos realizarmos totalmente como Pessoas!

Deus não se impõe,
apenas Se propõe!!!

Hoje tem o Sabor de Último Dia !!!

Adivinhem:
Hoje é o último dia de...?

Hoje é Sexta-feira... mas não é só por isso!
Hoje é o último dia de trabalho do mês... mas não é só por isso!
Hoje pode considerar-se o último dia do Ano Litúrgico,
porque amanhã já são vésperas do 1º Domingo do Advento...
mas não é por isso!
Com este Advento vem uma Nova Esperança:
Hoje será o meu último dia de trabalho a contar para a reforma !!!
Este mês completo 33 anos de descontos...!
E, embora ainda sem idade para a reforma,
no próximo mês vou requerer a Aposentação!!!

Já basta de opressão, de humilhação, de mentira, de prepotência, de exploração, de marginalização, de impunidade, ...!!!

Já sonho com o raiar de um novo dia
Já sinto o desligar da opressão
Já a dor se transforma em alegria
Já a Vida toma nova direcção !!!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Actos Administrativos Contraditórios

Uma vez que o Ministério respondeu informando que, enquanto eu estivesse nomeado para o cargo, tinha que integrar o Conselho Administrativo (C.A.), (embora colocasse como arternativa que fosse nomeada outra pessoa para o cargo), os meus superiores consideraram (sem mais trâmites e contra a minha vontade expressa) que devia regressar ao C.A.
E assim, de facto, aconteceu!
Solicitei e requeri por escrito, diversas vezes, a exoneração do cargo, mas e exoneração não foi aceite
e nunca se dignaram sequer responder-me.
Exarei, então, em Acta do C.A. uma 'Declaração de Voto' manifestando o meu desacordo.
A Declaração dizia o seguinte:
"Ao perfazer 15 anos sobre a data da assinatura do despacho que me designa como responsável pelos Serviços de Apoio, cargo que desde então exerço e, por inerência desse exercício, integro este C.A., uma vez que, ao contrário dos outros elementos deste C.A. que auferem remuneração pelos respectivos cargos, ainda não sou remunerado pelo cargo que exerço, manifesto o meu desacordo: é injusto, não concordo." O Vogal do C.A. (Assinatura).
Na sequência desta declaração e
através duma simples Informação,
(e sem que fosse aceite a minha exoneração e
sem que fosse nomeada outra pessoa para o exercício deste cargo),
fui substituído no C.A., por alguém que aceitou substituir-me nessas funções:
Exactamente o contrário daquilo que o Ministério indicara e
Exactamente o contrário daquilo que tinha fundamentado o meu regresso ao C.A.!!!
A impunidade do poder permite-lhe contradizer-se a si próprio!!!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Faria hoje 100 Anos.

Hoje faria 100 anos o Ti'Zé Moleiro.
Há 20 meses que partiu.
Tinhamos-lhe prometido uma festa para hoje.
Vamos fazer a festa prometida:
Vamos juntar-nos e celebrar a sua memória.
Vamos recordar a sua pessoa.
Vamos lembrar a sua Vida.
Vamos admirar a sua maneira de ser.
Vamos desejar a sua presença para além desta Vida
para a festejar e celebrar eternamente em Cristo.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

A Declaração de Voto: O Grito do Oprimido !

Tendo sido obrigado a regressar ao conselho administrativo, por ser considerado no exercício dum cargo para que tinha sido nomeado, (sem ser por ele remunerado), redigi e remeti diversos requerimentos solicitando a exoneração desse cargo.
Porém, nunca recebi qualquer resposta!
Numa Acta do Conselho Administrativo (C.A.), em Novembro de 2000, exarei, por escrito, em Acta a seguinte:

"Declaração de Voto
Ao perfazer 15 anos sobre a data da assinatura do Despacho que me designa como responsável pelos Serviços de Apoio, cargo que desde então exerço e, por inerência desse exercício, integro este C.A., uma vez que, ao contrário dos outros elementos deste C.A. que auferem remuneração pelos respectivos cargos, ainda não sou remunerado pelo cargo que exerço, manifesto o meu desacordo: é injusto, não concordo.
O Vogal do C.A."
(Assinatura)

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O Poder da Prepotência ou a Prepotência do Poder

O quarto chefe máximo com quem exerci funções, no último ano do seu mandato (1997), determinou verbalmente que, uma vez que se mantinha o propósito de não me pagarem a remuneração correspondente ao cargo para que tinha sido nomeado, iria ficar dispensado de assumir a responsabilidade solidária no conselho administrativo, sendo, nesse ano, dispensado de assinar os respectivos documentos e ficando assim, esse orgão, reduzido apenas a dois elementos.
Com a tomada de posse de novo chefe (1998), uma vez que o orgão de gestão destes Serviços continuava apenas com dois elementos, foi consultado o Ministério da tutela para se pronunciar sobre como resolver a situação. O Ministério respondeu que, enquanto estivesse nomeado no cargo, tinha que integrar o conselho administrativo. E, assim, sem mais formalidades, fui obrigado e regressar ao referido orgão de gestão, sem a remuneração do respectivo cargo, tendo deixado expresso, por escrito, o meu 'não concordo', uma vez que, para assumir as responsabilidade solidária nesse orgão era considerado empossado no cargo, mas não o era para efeitos de receber a correspondente remuneração.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

A Curiosidade ... E o Salto para a Alegria de Viver!!!

Lucas 19, 1-10:
Jesus entrou em Jericó e ... Havia lá um homem rico chamado Zaqueu, chefe de cobradores de impostos. Queria ver quem era Jesus ... Correu ... subiu a uma figueira ...
Jesus disse-lhe: "Zaqueu, desce depressa, porque hoje preciso de ficar em tua casa." Ele desceu imediatamente e recebeu Jesus com alegria.
...começaram todos a criticar...
Então Zaqueu pôs-se de pé e falou assim: "Escuta-me, Senhor! Vou dar aos pobres metade... e às pessoas a quem prejudiquei vou dar-lhes quatro vezes mais."
Jesus então declarou: "Hoje entrou a salvação nesta casa... Na verdade, o Filho do Homem veio buscar e salvar..."

A curiosidade de Zaqueu e a subida à árvore, foi o suficiente para a proposta de uma Nova Forma de Viver.

Cristo intitula-se apenas 'o Filho do Homem'... O que era evidente!
'Filho de Deus' é uma proposta de descoberta:
N'Ele e em cada um de nós!!!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Injustiça contra o Previsto na Legislação.

A legislação que previa a criação e a orgânica destes Serviços, determinava exactamente a existência dos cargos nomeados. No meu caso, os serviços de apoio, para os quais fui nomeado, constituia concretamente uma das 2 direcções de serviços previstas. Igualmente previa que quem desempenhasse esse cargo seria responsável pelos serviços administrativos e financeiros e, por inerência, integraria o respectivo conselho administrativo.
Aliás, tal como previa que, por inerência dos respectivos cargos, tanto o chefe máximo que me nomeou, como o que foi comigo nomeado, integrassem, igualmente, o referido conselho administrativo. Só que eles, ao contrário de mim, sempre receberam os vencimentos correspondentes aos respectivos cargos.
Igualmente, no quadro de pessoal destes Serviços, sempre esteve previsto o lugar deste director de serviços e, embora tivesse sido nomeado e tivessem sido assumidas as respectivas funções, nunca foi remunerado.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A Injustiça. A Prepotência. A Exploração.

São 23 anos de: Injustiça, Prepotência e Exploração!

Incluindo o chefe máximo que assinou o Despacho da minha nomeação e o que se encontra presentemente em funções, ao todo já são seis.
Durante estes 23 anos fui recebido em audiências, solicitadas para o efeito, para expôr a minha situação, sempre me tendo sido prometido uma resposta: Até hoje... Nada!
Fiz várias exposições e apresentei diversos requerimentos sobre a minha situação, fundamentando legalmente o direito à minha pretensão de ser remunerado pelo cargo para que superiormente fora nomeado e que, desde o início, assumia. Nunca recebi uma única resposta!
Sabendo-se que tinha direito a ser remunerado, tal como os outros dois elementos do referido conselho administrativo, nunca houve a coragem de responderem negativamente, para que eu não pudesse contestar esse ilegal acto administrativo.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

11 de Novembro de 1985 -- Faz hoje 23 anos.

No dia 11 de Novembro de 1985
foi assinado o Despacho que me nomeia para estes Serviços.
Faz hoje 23 anos.
Os Serviços tinham sido recentemente criados pelo Governo e,
por esse despacho, foi nomeada uma estrutura para os pôr em funcionamento.
Dos três elementos nomeados, apenas dois acabaram por dar continuidade ao desempenho dos respectivos cargos, tendo um regressado à sua situação anterior.
Ficámos dois... Até hoje!
Ambos assumimos os respectivos cargos
e, por inerência desses cargos, ambos integrámos o conselho administrativo destes Serviços,
juntamente com quem nos nomeou que,
também por inerência, preside a esse orgão de ghestão.
Os Serviços foram postos a funcionar
praticamente a partir do zero, trabalhando neles,
presentemente, mais de 130 pessoas.

Embora o cargo para que fui nomeado tenha sido considerado para efeitos de integrar o referido conselho administrativo destes Serviços, desde o início, por inerência desse cargo, aliás como aconteceu com o outro elemento, ao contrário dele, que sempre foi remunerado pelo seu cargo, no meu caso, a minha nomeação, aceitação e desempenho do cargo para que fui nomeado, nunca foi considerado para efeitos de ser remunerado por ele.
É uma injustiça que perdura há 23 anos!
Durante estes anos solicitei que me fosse pago: Nada!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Windsurf: Fim de Semana Radical


É verdade:
Neste fim de semana, eu, a Marta e o Vladimir
fomos aprender Windsurf,
no Clube Náutico, na Ilha de Faro.
Para quem não sabe, o windsurf é um desporto
em que o ser humano tenta desafiar as leis da física
e alguns elememtos da natureza.
Tenta, mesmo que não consiga!

Primeiro é preciso arranjar o material:
Uma prancha com patilhão;
Um mastro com pé de mastro;
Uma vela com retranca, cabos de içar e de tensão
e... tá no ir!
Para quem não sabe, o pé de mastro
é maleável para todos os lados, mas fixa-o à prancha
de modo que, só por ele, não pára de pé.
Mas já lá vamos...!
A retranca é montada à volta da vela
e é fixa ao mastro: parece um círculo esborrachado!
Para quem não sabe a acção passa-se dentro de água
que é um elemento da natureza
onde a gente procura andar com a cabeça de fora, para respirar,
o que nem sempre é fácil.
Bem, como sabem, a prancha não é um barco,
faz lembrar mais uma língua de sogra muito grande,
é bastante espalmada e flutua ao de cima da água.

O truque começa por subir para a prancha dentro de água:
A prancha, quando se sente agarrada, deita-se de lado
e despeja com facilidade o intruso.
Depois de algumas tentativas descobrimos que,
se subirmos do lado contrário à vela,
conseguimos pôr-lhe a barriga em cima,
o que, no meu caso, foi já uma vitória... mas
com 90 kg em cima a prancha já não bóia tanto
e não perde uma oportunidade de nos pôr novamente de molho.
A magana parece que faz de propósito:
enclina-se para o lado, despeja-nos sem cerimónia
e faz questão de se afastar, para nós termos que ir atrás dela.
Bem, quando a gente consegue pôr-se em cima dela
então o desafio seguinte é pormo-nos de pé, ... mas
quando a gente menos espera, ela dá assim dois balancinhos
e escapa-se debaixo dos pés em menos de nada
e o que se ouve a seguir é um splach...
de quem cai desamparado de costas...!
Até as gaivotas fogem...!!!
Quem conseguir ficar de pé, o desafio seguinte
é pegar no cabo de içar e tirar o mastro com a vela e a retranca para fora da água.
Como já perceberam a prancha continua a fazer das suas
para se ver livre do peso e...
despacha-se bem e depressa a aliviar a carga!!!
Quando conseguimos tirar a vela da água e pô-la de pé...
vitória das vitórias...!
Aí entra em acção um novo elemento: O Vento !!!
Esse, com uma assopradela, obriga-nos a recomeçar tudo de novo.

Bem:
A água abana, abana.
A prancha enclina, enclina.
A vela pucha, pucha.
O vento assopra, assopra.
A gente treme, treme.

Conclusão:
Não há nada que fique parado, nem seguro!!!

Podem crer:
Equilibrar-se na prancha...
Segurar na vela e aguentar o vento
dá cá uma sensação R A D I C A L !!!

Quem é que quer entrar numa 'vaquinha'
para comprar o material para experimentar lá na Barragem ???

Eu alinho!!!
Vamos nessa?!!!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O Medo

Não receiem os que matam o corpo e depois não podem fazer mais nada. (Lc.12,5)

Dentro de cada um, o medo arranja todas as razões
e desculpas para nos bloquear.

O medo é capaz de nos vergar perante Deus, perante os homens, perante as coisas, perante nós próprios.

Era bom que apenas tivessemos medo de ter medo.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Boas Férias


A quem por aqui passar,
Desejo
BOAS FÉRIAS !!!

terça-feira, 24 de junho de 2008

A Marta e o Vladimir





Durante esta longa ausência
muitos assuntos...
se ficaram pela intenção ...



Mas agora o mais importante é dizer:

A Marta e o Vladimir casaram!




Eu sei que foi no final do mês passado...
Pois é...
... foram necessários muitos dias para acordar !!!



Quem já por lá passou,
sabe do que estou a falar.


MUITAS FELICIDADES para eles!!!



quinta-feira, 17 de abril de 2008

A Inteligência


Penso que, depois da capacidade de Amar e do controle da própria Vontade, a Inteligência é dos maiores dons que Deus deu ao ser humano.
E passa por aqui, no meu entender, a razão de ser daquela frase da Bíblia: 'Deus criou o Homem,
à sua imagem e semelhança o criou', (Gn.1,27).
Também penso que o egoísmo, o egocentrismo e a autosuficiência são das características que mais afastam o Homem de Deus e dos outros.
Tanto a capacidade de Amar como o controle da própria Vontade entram em choque com o egoísmo e, a própria Inteligência, é posta fácilmente ao seu serviço.

Quando o Homem se deslumbra, na sua vaidade, com a própria Inteligência, pode convencer-se mesmo em dispensar Deus.
O homem proclama-se deus de si próprio e renuncia à sua origem, à sua maior dignidade, ser filho de Deus, criado à Sua imagem e semelhança.

Cristo, depois de lavar os pés aos seus discípulos, disse-lhes:
"Fixem bem o que vos digo:
O servo não é maior que o seu senhor". (Jo.13,16)
O exemplo do máximo de humildade e de espírito de serviço,
mas (sempre e só) como criaturas de Deus!

Mais do que 'inteligência' (que a si própria se deslumbra) a Bíblia fala-nos da Sabedoria de Deus.
A Sabedoria é mais abrangente: É enriquecida pela inteligência, mas é amadurecida pela experiência e é fortalecida pelo discernimento e temperada com o Amor que ajudam a orientar a Vontade.

A Sabedoria vem de Deus e acedemos a ela quando nos deixamos conduzir pelo Seu Espírito!

quarta-feira, 16 de abril de 2008

A Oração


Rezar é colocar a Vida no andar de cima.

Por enquanto, esta será a melhor definição de 'oração' que consigo.

Rezar é procurar. Procurar em mim e abrir-me ao infinito.

Cristo disse que não era por muitas palavras que Deus nos escuta.

De facto, perante Deus, nem as palavras fazem falta.

A Oração é sobretudo feita de Silêncios e de escuta.

Rezar nunca é magia. Não é troca. Nem negócio.

Rezar é confiar. Aceitar. Entregar-se.
É deixarmo-nos envolver no Amor de Deus.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Avaliação do Desempenho







No dia 14-02-2008 fui convocado para uma reunião, sem conhecimento da sua finalidade.

Peguei numa folha de papel e numa caneta ali à mão, que por acaso escrevia a verde, e fui para a sala. Era por causa da avaliação do desempenho no sector da administração do serviço.

Foi entregue um caderno a cada um para tomar conhecimento dos objectivos pelos quais seriam avaliados em relação a 2007, para preencherem os espaços com os seus dados pessoais e para procederem, cada um, ao registo da sua auto-avaliação.

Ontem fui chamado para tomar conhecimento da minha avaliação de desempenho. Foi-me dito, por exemplo, que tinha sido considerado um acto de rebeldia ter preenchido com caneta de tinta verde. Pensei que, se o serviço não quer que se escreva a tinta verde, não deveria comprar canetas dessa côr.

A fundamentação da classificação dizia apenas: "Deve melhorar nos seus comportamentos éticos e deontológicos perante o serviço e superiores".
Não referia qualquer falha ou atitude menos correcta.
Pensei que falta de ética era não referir os aspectos em que eu pudesse ter falhado.

No espaço para tomar conhecimento havia um espaço para observações, assinar e pôr a data.
No espaço de observações escrevi, a azul:

"Quanto ao meu comportamento perante o serviço e superiores, ao nível ético e deontológico, não fiz nada de moralmente condenável. Pelo contrário, assumi no serviço o desempenho das funções para que fui nomeado, sem ser por elas remunerado, ao contrário de quem foi nomeado juntamente comigo, pelo que a carência de ética está do lado do serviço.
Quanto ao processo de avaliação, por verdade e lealdade, cito a sabedoria popular que refere desgraçado de quem não fica nas boas-graças do chefe, pois fica sugeito à prepotência, arrogância, mentira e desumanização do poder".

quarta-feira, 26 de março de 2008

Cristo é Páscoa! É a Ressurreição! É a Força de Recomeçar!


O Evangelho de hoje ( Lucas 24, 13-20.25-29 ) propõe à nossa reflexão o que se passou com dois discípulos que saiem de Jerusalém para Emaús. Toda a esperança cai por terra. A vida perde o sentido. Sentem-se impotentes perante os acontecimentos: "entregaram-no para ser condenado à morte e pregaram-no numa cruz".
Às vezes morre o que tenho em mim de mais sagrado.
Deixo-me vencer pelo mundo e desanimo.
Viro costas, vou-me embora, desisto, desiludo-me.
Fico insensível aos sinais de esperança, aos outros que caminham comigo, condeno-me a uma morte sem ressurreição à vista.

Jesus, vem ter comigo, caminha ao meu lado.
Ajuda-me a reconhecer-Te nos que me rodeiam.
Sei que estás por aqui, que venceste o sofrimento e a morte.
Fica comigo. É que para Ti nunca é tarde.
Contigo a noite anuncia sempre o dia e em Ti a morte é só a porta estreita para vida eterna. Livra-me dos falsos brilhos e dos enganosos pães e dá-me a luz que interessa e o pão que interessa.
Ajuda-me a levar essa luz e esse pão a todos os que se cruzarem comigo.
Ajuda-me a (con) verter-me nessa Luz de Esperança e dessa Força de Vida.
Ajuda-me a Ressuscitar da amargura, do sofrimento, da prostração, das cadeias que me prendem à tristeza,
para a Vida com sentido, porque a ressurreição começa e faz-se aqui, em cada dia, vivendo contigo.

segunda-feira, 17 de março de 2008

Faz hoje um Ano!


Faz hoje um ano que o meu sogro, José Manuel, mais conhecido por Ti'Zé Moleirinho, faleceu.

A sua Sabedoria de Vida; a sua Fé;
A Humildade como viveu, concretamente, antes e depois da morte da sua esposa, a Ti' Piedade;
A sua Lucidez e o desejo de não dar trabalhos;
A maneira como aceitava o estar próximo o fim dos seus dias...
São sinais de admiração: São um exemplo de Vida!

Este ano faria 100 anos de idade.
Mais do que a saudade fica o exemplo duma vida de trabalho, dedicação à família, de honestidade...

Era uma pessoa respeitada, estimada por vizinhos e conhecidos:
Os seus conselhos, fruto da vida, da reflexão e do discernimento,
tinham um profundo sentido de ponderação e de justiça
eram acolhidos, reflectidos e, frequentemente, repetidos como forma de conduta.

Que a sua maneira de ser e de viver continue a ser,
para cada um de nós, um exemplo de vida a imitar, a seguir!

Que Deus o tenha na Sua presença!
E que a gente mereça participar nessa Comunhão dos Santos!

Este Ano a Páscoa vem cedo


Em Jerusalém celebrava-se a Festa da Páscoa (passagem), recordando a saída do Povo de Deus do Egípto. Moisés escolheu a primeira Lua Cheia, depois do início da Primavera, para sair do Egipto, a caminho da Terra prometida, através do deserto. E, como foi durante as celebrações da Festa da Páscoa, em Jerusalém, que Cristo foi condenado à morte e ressuscitou, no Domingo, os cristãos celebram a Festa da Páscoa, pela Salvação (passagem) que Deus oferece à humanidade, mantendo o mesmo modo de fixar a data da Festa:
Início da Primavera => Lua Cheia => Domingo: Festa da Páscoa!

Este ano o início da Primavera (equinócio) é no dia 20 de Março, à 05h48.
No dia 21 de Março, às 18h40, é Lua Cheia.
E no dia 23 de Março é Domingo: Domingo de Páscoa!
Por esta sequência de acontecimentos ser tão próxima,
este ano a Páscoa celebra-se excepcionalmente cedo.

Boa Páscoa!

Que seja um ano de Passagem, de Libertação,
de aceitação da Salvação que Deus nos oferece!
Este é o nosso tempo de dar sentido à nossa Vida!

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

O que Deus dá: O Homem partilha!


O que tiver muito, receberá ainda mais!
(Mc. 4,25)

Os dons que cada um recebe são para usar,
pôr ao serviço dos outros,
para o bem comum!

Quanto mais se dá,
mais rico se fica!!!

video

Quem muito "calcula" o pouco que tem
e, para si só, guarda,
acaba por perder tudo o que lhe foi dado,
porque para nada serviu.

A Irmã, Madre Teresa de Calcutá, dizia:
"Tudo o que não se dá, perde-se!"

O que Deus dá


O que Deus nos dá é para que, cada um,


o ponha ao serviço dos outros, do bem comum!



video


Quem tem muito e o partilha,


mais rico fica!


Quem 'calcula' o pouco que tem e o guarda só para si,


até o pouco que tem acaba por se perder.


A Irmã Teresa de Calcutá dizia que:


Tudo o que não se dá, perde-se!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

O Semeador


O semeador é o que espalha a Boa Nova.
(Mc. 4,14)

Há a semente que cai à beira do caminho,
em terreno pedregoso,
entre cardos e silvas,
e também em terra fértil.

Às vezes somos um pouco de cada um destes terrenos.
Às vezes somos semeadores da Boa Nova.
Essa Boa Nova que anuncia que o Reino de Deus
é um reino diferente dos reinos dos homens.

O poder, a opressão, a injustiça, a mentira, o ódio, ...
não têm lugar no Reino de Deus.
E nós somos chamados a anunciá-lo
e a construí-lo no meio dos homens.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Conversão de Paulo



...por que me persegues?


A conversão de Paulo deve ter sido um dos episódios mais marcantes dos primeiros Cristãos.
A Igreja celebrou por estes dias este acontecimento: (25 de Janeiro).
O Livro do Actos dos Apóstolos, e este foi um dos aspectos que mais me chamou a atenção, relata diversas vezes este acontecimento: Ver cap.s 9, 22 e 29.


É pela Luz e pela Palavra que Cristo se revela a Paulo (e a nós).
Paulo deixa de ver com os olhos do corpo, para poder ver com os olhos do Espírito.
Cristo identifica-se com os Cristãos:
"Eu sou Jesus, a quem tu persegues!"
Cristo identifica-se com aqueles que se identificam com Ele:
"todo o que fizer a vontade de Deus
é meu irmão, minha irmã e minha mãe."
(Mc.3,35)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Ciclos da Natureza


Menos de um mês depois do início do Inverno,
as amendoeiras são das primeiras plantas a responder ao crescimento dos dias.

Logo que os dias começam a crescer,
cobrem-se com um véu de pétalas brancas,
mesmo antes das folhas germinarem,
para que o verde não lhe perturbe a pureza e candura.

É um Novo Ano que se anuncia.
É a promessa de uma Primavera ainda distante.
É o renascer da Vida.
É o acordar do sono do Inverno.

Da varanda do meu local de trabalho
o espectáculo se repete em cada ano:
E em cada ano é uma nova surpresa.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Bom Ano de 2008


A quem aqui vier,

mesmo que de passagem,
quero desejar:
UM BOM ANO DE 2008 !!!

Que seja um Ano de Viragem!!!

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Faria hoje 99 anos !


Recordo, há um ano precisamente,
celebrámos os seus 98.

Desejámos que chegasse aos 100...
para fazermos uma grande festa!

E nada faria prever que isso não fosse possível...!

Dos 98, fica uma recordação das 4 gerações presentes:

Avô, pai, filho e neto !

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Há quase 46 anos


Foi em Novembro de 1961...
Por alturas do São Martinho,
Tinha eu pouco mais de 12 anos:
Minha Mãe morreu, quase inesperadamente...

Inesperadamente porque era 'impossível', 'impensável'
que isso pudesse acontecer...!

Porque era um absurdo que alguém com 9 filhos pequenos pudesse morrer.

Em poucos dias, uma doença, a leucemia,
de que nunca tinha ouvido falar,
tirava-a da cama do Hospital de Santa Maria para a morgue,
irremediavelmente!...

Era como se o futuro deixasse de existir...
Era como se o chão desaparecesse debaixo dos pés...
Era como se a vida ficasse vazia e sem sentido:
Era o absurdo dos absurdos!

Não sei se chorei... ou se chorei o suficiente...
Mas senti que a vida dificilmente me causaria um sofrimento maior...!

Foi preciso tanto tempo para me ver a escrever sobre isto!?
Foi preciso passarem tantos anos como os que ela tinha...

A falta que me fez...
A falta que nos fez...
A tristeza tornou-nos mais unidos...
As dificuldades, mais solidários...
O que ela deve ter sofrido por nos deixar
... foi por isso que ela sempre cuidou de nós!

terça-feira, 30 de outubro de 2007

A Lenda da Pena d'Água


LENDA DA PENA D’ÁGUA

NAS ENCOSTAS DA VIGIA
P’ROS LADOS DO SOL NASCENTE
BROTA DA GRUTA UMA FONTE
COM UMA LENDA COMOVENTE

NO TEMPO DA GUERRA AOS MOIROS
LÁ SE ESCONDEU UMA MOIRINHA
QUE EM BUSCA DE COMIDA
A AMA DEIXOU SOZINHA

PELOS SOLDADOS CATIVA
AMA MOIRA FOI LEVADA
MAS DA PRINCESA MOIRINHA
A AMA NÃO DISSE NADA

VENDO-SE SÓ E COM FOME
A PRINCESINHA CHOROU
E A COBRA DAQUELA GRUTA
COM OS SOLUÇOS ACORDOU

DE OLHOS BRILHANTES LANÇOU
À PRINCESA ENCANTAMENTO
E A MOIRINHA ASSIM FICOU
A PARTIR DESSE MOMENTO

DE DIA E NOITE CHOROU
NA ENCOSTA DAQUELE MONTE
DA SUA PENA BROTOU
NAQUELA GRUTA UMA FONTE

NAS BRUMAS DO NEVOEIRO
HÁ QUEM DIGA QUE A OUVIU
A CHORAR A VAGUEAR
MAS NUNCA NINGUEM A VIU

NÃO HÁ MEIO DE QUEBRAR
SEU ENCANTO SUA MÁGUA
RESTA APENAS A PRESENÇA
DA FONTE... A PENA D’ÁGUA

TITI

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Somos Fracos Vasos de Barro


«Quem põe a mão no arado e olha para trás, ..."
(Lc.9,62)

As limitações, o pecado, o orgulho
e também o medo, a experiência do fracasso, as hesitações, as dúvidas e reticências
fazem parte do dia a dia.

Há certos problemas que têm a capacidade de nos bloquear de nos paralisar a mente e os movimentos. (Ainda não será hoje que vou conseguri falar deles).

É este o barro de que somos feitos.

E, no entanto, é a estes vasos que Deus confia o anúncio do Seu Reino.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Aceitar e tornar minha a Tua Vontade


"Vou ensinar-te e mostrar-te o caminho que deves seguir;
de olhos postos em ti, serei o teu conselheiro
..."
(Salmo 32,8) (*)

Fácil é dizer:
"Seja feita a vossa vontade!"
Difícil é ter a confiança para fazê-la
e aceitar deixar-se conduzir.

(*) Citado por Henri Le Boursicaud
em "Pigmeu entre os Pigmeus"

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Degrau a degrau. Se for capaz!




"O que eu quero é misericórdia e não sacrifícios. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores." (Mt.9,13)


Mateus, cobrador de impostos, da fama, pelo menos, não se livrava!


Não admira, por isso, que ele fosse tão sensível a esta questão da misericórdia de Deus e do chamamento dos pecadores.


É bom também nós percebermos como é a nossa faceta de cobradores de impostos perante os que nos rodeiam.


Dentro de cada um de nós existe uma parte de justo e uma parte de pecador e é esta parte que é chamada à conversão.


É aí que devemos concentrar o nosso esforço!


E quanto aos outros, quando erram, usemos de misericórdia, que é aquilo que gostamos que os outros usem connosco quando erramos!

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Astronomia: Um desafio à nossa Imaginação.

Pequeno ou Grande?!
Da Terra à Lua são cerca de 400.000 km.
É muito ou é pouco?
Há certos carros que durante a sua vida andaram o suficiente para percorrer essa distância.
A Lua anda em volta da Terra e o plano da sua órbita pode sobrepôr-se ao plano da órbita da Terra em relação ao Sol:

A Eclíptica = onde se dão os eclipses.
Podemos imaginar uma mesa e, nesse plano, imaginar as órbitas da Lua em volta da Terra e da Terra em volta do Sol.
E até podemos colocá-los a distâncias proporcionais: Mas se a Lua ficar a 1 cm da Terra, o Sol terá de ficar a 370 cm,

ou seja a 3,70 metros.
E o Sol é tão grande que a Lua podia descrever a sua órbita à volta da Terra dentro do Sol.

Em Astronomia a questão do tamanho é sempre relativa: Aquilo que nos parece muito grande, de repente, comparado com outra, parece pequeno.
Se há coisas que nos falam da Grandeza de Deus, a Astronomia será uma delas.
Para comparar tamanhos de Estrelas e Planetas, espreita aqui.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Astronomia de Novo: Porque é Agradável Pensar!

A Terra anda à volta do Sol:
É o chamado Movimento de Translacção!
A trajectória desse movimento (órbita)
é, aproximadamente, um círculo,
(como é ligeiramente alongado, chamam-lhe elipse).
Mas a Terra também tem um Movimento de Rotação,
roda sobre si mesma, (em torno do 'seu eixo').
(Como vemos o Sol deslocar-se no sentido dos ponteiros do relógio, significa que o movimento de Rotação da Terra é no sentido inverso).

É este movimento que dá origem aos dias e às noites,
e o de Translacção dá origem às Estações do Ano.

Podemos imaginar o Sol fixo
(um dia podemos pensar nos movimentos do Sol)
e, ao mesmo tempo, podemos imaginar a Terra com os seus dois Movimentos: de Rotação e de Translacção.
Podemos imaginar, em cada dia, 24 horas, a Terra dá uma volta e, em cada dia, ela avança um bocadinho na sua órbita à volta do Sol.

Como este círculo à volta do Sol tem 360º graus, e o ano tem 365 dias, podemos dizer que cada dia a Terra anda à volta do Sol quase 1 grau.

Pergunta: Então um dia, 24 horas, corresponde exactamente a uma rotação exacta de 360º da Terra no seu Movimento de Rotação? Sim ou não?

Imaginemos de novo os dois movimentos: Enquanto a Terra deu uma volta de rotação, 360º, mexeu-se para o lado na órbita cerca de 1 grau (mais de 2 milhões e 500 mil km, ver postagem anterior).
Então, um ponto na Terra que estivesse exactamente apontado ao Sol ao meio dia, depois da Terra ter dado uma rotação de 360º, como ela se desviou para o lado um grau, (então) a Terra precisa de rodar mais um grau para que o mesmo ponto fique exactamente apontado para o Sol, para prefazer um dia, as 24 horas!

Pois é!
Para cada dia a Terra tem que rodar sobre si (Movimento de Rotação) quase 361 graus para completar um dia, ( 24 horas), e, ao fim de um ano, a Terra deu 366 voltas e só passaram 365 dias.

Se a Terra só desse uma volta, sobre si mesma, durante um ano, então teria sempre a mesma face virada para o Sol. É o que acontece com a Lua em relação à Terra e, assim, da Terra vemos sempre a mesma face da Lua.

Pergunta: E o dia lunar, em relação ao Sol, quanto tempo demora?
O período do dia lunar é igual ao tempo que medeia uma Lua Nova e a Lua Nova seguinte: Aquilo a que chamamos o mês lunar!

Astronomia: Para nos Deliciarmos.

O Sol está longe... está mesmo muito longe!
Dizem que a luz do Sol demora mais de 8 min. a chegar à Terra.
E a luz anda muito depressa: 300.000 km por segundo.
Podemos imaginar a distância da Terra ao Sol.:
300.000 km x (8 x 60 seg.) são cerca de 150.000.000 km.
A distância média da Terra ao Sol é a Unidade de medida Astronómica: AU = 149 597 870 km.
(Assim, quando dizemos que a distância de Neptuno ao Sol é de 30 AU,
significa que é 30 vezes a distância da Terra ao Sol.)
E, para lá do Sol, podemos também imaginar outro tanto de distância:
É lá que nós vamos passar daqui a 6 meses!

A Terra andando à volta do Sol (translacção) percorre um círculo muito grande:
O seu perímetro, o percurso percorrido pela Terra em cada ano,
será: 2 X Pi X 150.000.000 km: Quase 945.000.000 km,
o que é muito km!

Se dividissemos isto por 365 dias ficávamos a saber que, em cada dia,
a Terra percorre uma distância à volta do Sol de mais de 2 milhões e 500 mil km,
o que é andar muito!

E para saber a velocidade por segundo teríamos que dividir por 24 horas; dividir por 60 minutos e por 60 segundos, o que daria uma velocidade de 30 km por segundo.
É, o que se pode chamar, voar muito depressa!

Só para termos uma ideia:
Um avião a jacto que voe a 900 km por hora, precisa de 4 seg para andar 1 km.
Então a Terra anda, à volta do Sol, 120 vezes mais depressa que um avião a jacto.
(Cuidado, não se pode pôr a mão de fora!)
Mesmo assim, comparada com a velocidade da luz, é 10.000 vezes mais pequena!

Por isso não admira que, com esta velocidade, se a Terra na sua trajectória, apanha no espaço, um errante grão de poeira que seja, ou um fragmento deixado por um cometa, ele ao entrar na atmosfera aquece, fica incandescente, desfaz-se...

e nós dizemos que
vimos uma estrela cadente!

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Ventilador Solar

Hoje começou a funcionar o ventilador solar nas casas de banho.
Era um sonho, um projecto!
Na base da chaminé, no lado virado a Sul, junto às telhas, há dois respiradores das casas de banho.
Como não tinham grelha, quando chovia, a água que escorria na chaminé chegava às casas de banho. Era preciso evitar a entrada da chuva.
O Carlos tinha-me dado uma célula fotovoltáica, com cerca de 10 x 30 cm, que produz 12 Voltes com a luz Solar. Comprei uma ventoínha de ventilação das fontes de alimentação dos computadores, (trabalham a 12 V) e tem 12 x 12 cm.
Ensaiei-a com a célula fotovoltáica: Funcionava!
Cortei a caixa de um computador antigo, em 'L', tapei os topos e fiz uma abertura para a ventoínha.
Este conjunto acenta na parede da chaminé, cobrindo os respiradores. Vedei em volta com selicone.
Por cima, uma outra chapa em 'L' cobre o conjunto da ventoínha e suporta o painel solar.
Dois parafusos fixam o sistema à chaminé.
Protegi o painel com uma película de plástico rígido.
Está a funcionar!
Agora, quando há Sol,
o ar das casas de banho é renovado automaticamente!

Salto em Altura


Neste salto em altura,
sempre tive a sensação
que nos foi posta a fasquia demasiado alta:


"Sejam bondosos como o vosso Pai é bondoso."
(Lc.6,36)


A única vantagem é reconhecermos que,
nestas questões,
a maior parte do caminho está por percorrer.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

O Pecado


No regresso de férias partilho

"Ser testemunha da misericórdia e do amor de Deus no mundo não significa, no entanto, pactuar com o pecado…


O pecadotudo o que gera ódio, egoísmo, injustiça, opressão, mentira, sofrimento – é mau e deve ser combatido e vencido.


Distingamos claramente as coisas: Deus convida-me a amar o pecador e a acolhê-lo sempre como um irmão; mas convida-me também a lutar objectivamente contra o mal – todo o mal – pois ele é uma negação desse amor de Deus que eu devo testemunhar."

terça-feira, 7 de agosto de 2007

A Dignidade da Pessoa

Hoje vou de férias!
As ideias que ultimamente tenho 'esprimido' e que têm deitado algum sumo são:
As Instituições (tal como as máquinas) são feitas pelas Pessoas.
As Pessoas são mais importantes que as Instiuições: As Instituições estão ao serviço das Pessoas (tal como as máquinas) e quando as Instituições escravizam as Pessoas ou se servem delas escravizando-as, estão a fazer o contrário daquilo para que foram feitas!
Em certos casos, algumas pessoas saiem em defesa de instituições, mas estas, tal como as máquinas, os cilindros, por exemplo, podem esmagar o operário e até o seu condutor.

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Hoje é o 1º Dia do Resto da minha Vida

Em vão coloquei a minha esperança na rectidão dos homens
Confiei no seu bom senso e justiça
Na dignidade dos seus procedimentos
Na correcção das suas atitudes;


Acreditei que daí a verdade era possível
Que por aí se podia fazer justiça
Que assim podia ser reposta a legalidade
Que a dignidade renasceria como a luz da manhã.


Em vão esperaram meus passos,
Enganei-me!
Não transpareceu a verdade
A justiça foi calcada,
...
E esta esperança parece querer morrer por aqui...


Resta viver os dias que faltam
Até que a Justiça seja de novo Vida!
Louvado seja Deus
Que nos dá forças para reconciderar,
Para reorientar a esperança...
Meu Deus que esta humilhação do teu servo
Sirva para que a sua confiança
Se coloque mais em Ti, que nos homens...
Na Luz que não tem ocaso...
Na Alegria sem limites
No desejo de mergulhar nessa imensidão
De Amor, de Plenitude, de Comunhão,...
Nessa Identificação plena e eterna,
Que é o teu Amor e a Tua Ternura de Pai!
Amen!

sexta-feira, 20 de julho de 2007

A Alice e o Arnaldo

Casados há 42 anos a Alice partiu para o Pai.

Na despedida o Arnaldo disse-lhe:

"Que a estrada se erga para te encontrar.
Que o vento corra sempre de feição.
Que o sol quente brilhe sempre sobre a tua face e a chuva caia suavemente sobre os teus campos.
E que Deus te tenha na palma da Sua mão até nos encontrarmos de novo".



Em nome da Alice, a Iris, uma das suas cinco filhas, diz:


"A Morte não é nada afinal. Fui apenas para outro lado. O que quer que fôssemos antes, ainda o somos. Chama-me pelo meu nome da maneira fácil como sempre o fizeste. Não mudes de tom, nem fales com ar de solenidade ou mágoa. Sorri, como sempre sorrimos como o mais pequeno raio de sol. Continua o teu Caminho, pensa em mim, reza por mim. Deixa o meu nome continuar a ser essa palavra familiar que sempre foi, deixa-o ser dito normalmente sem sombras de tristeza pairando.
A Vida significa tudo aquilo que sempre significou. É o que sempre foi, uma inquebrável continuidade. Porquê estar longe do coração se estou apenas longe da vista? Estou à tua espera, à espera da nossa eternidade, que está cada vez mais próxima e nós não damos conta.
Tudo está bem. Até breve."


Conheci-os numa equipa de CPM.
Eram um casal de (eternos) namorados.
Talvez o casal mais 'namorados' que já conheci.
Contavam a história dos 'belhetinhos' do seu namoro.

Como casal,
o seu namoro não precisava de ser contado: Via-se!

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Para Recordar









Um Jantar diferente.










O cair da tarde.








E o calor da noite.